27 de mar de 2009

Movimento 27 de Março

ôpa, há quanto tempo eu não escrevia aqui!
mas essas ferramentas são ótimas companheiras quando se quer escancarar algo, certo?

Abaixo carta ao presidente Lula e ao Ministro da Cultura, e link de uma breve reportagem sobre o Movimento 27 de Março, que chegou aos ouvidos de muito pouquíssimos interessados!


Carta Aberta ao Presidente Lula e ao Ministro da Cultura Juca Ferreira

Ilustríssimos Senhores

Nos últimos seis anos do vosso governo constatamos que não houve nenhum avanço na criação e no desenvolvimento de políticas públicas, democráticas, transparentes e descentralizadas para as artes no país, apesar dos Programas de Cultura do Partido dos Trabalhadores, que apontavam para um novo modelo gestor, de entendimento da Questão Cultural e que serviram de base para as diferentes campanhas políticas até a eleição do atual governo. E isso frustra a categoria, dadas as expectativas geradas pela vossa eleição e o modelo exemplar que ele poderia representar para as políticas públicas estaduais e municipais por todo o país.

Pensávamos, há seis anos, que um momento mais fértil para a cultura e para o país havia chegado, pois o governo empossado, recebendo o mandato de milhões de trabalhadores para atender às reivindicações mais sentidas do povo brasileiro, iria lutar por instrumentos de inclusão e cidadania e entendia a cultura como um bem inalienável do cidadão, um direito de todos e de cada um, tão importante quanto a saúde, o transporte e a educação.

Pensávamos, há seis anos, que haveria uma possibilidade do Estado servir aos interesses da maioria do povo brasileiro em contraponto às idéias neoliberais de um estado mínimo e à base do programa do governo que vos antecedeu. Mas não foi o que aconteceu.

E por não avançar este governo retrocedeu!

Hoje, no ano de 2009, a crise escancara nossos portões e o vosso governo, com seus recursos acumulados em superávits fiscais, corre para socorrer os grandes grupos econômicos e, mais um vez, deixa para a maioria da população o desemprego, a falta de assistência médica, uma educação insuficiente e uma cultura entregue à indústria do entretenimento. Uma indústria que nada mais visa além do lucro e que transforma a cultura e as artes em produtos sem valor além do consumo imediato, sem poesia e sem reflexão sobre o que somos como cidadãos e como sociedade. Ou seja, sem perspectiva de futuro para além das necessidades básicas de sobrevivência – trabalhar para sobreviver e fazer a máquina econômica girar.

Nós, trabalhadores do teatro e das artes, vos dirigimos esta carta para pedir o que parece impossível, mas esta é uma tarefa que nos cabe – pedir o impossível! Não nos incomodamos com isso, afinal nos diziam que era impossível um operário chegar à presidência da república. Entretanto do que adianta fazer acontecer o “impossível” para depois tudo continuar como antes?

Pedimos que o Estado Brasileiro, que vosso governo no tempo que ainda resta, se ocupe da coisa pública, e aja para o desenvolvimento e proteção de seus cidadãos. E que pense no futuro do nosso país para além de um grande mercado consumidor, um grande canavial, um grande pátio de estacionamento para as montadoras.

Por isso nós trabalhadores do teatro conclamamos o atual governo a dizer um basta à política de privilégios, à entrega do Estado à iniciativa privada, à perda dos direitos dos trabalhadores e ao fisiologismo político que trata as questões da soberania nacional como uma bolsa de valores sem nenhum outro horizonte a não ser luta pelo poder.

E através desta carta reivindicamos:

- O fim da lei de isenção fiscal para a cultura.

- A criação de um Fundo Público para a Cultura, através de Lei.

- Que ele seja o responsável pela implementação de políticas públicas para todas as áreas da cultura.

- Que ele opere através de editais públicos em todas as regiões do Brasil com a participação paritária, em suas comissões de seleção, de representantes escolhidos pelo governo e pelos participantes dos respectivos editais.

- Que este fundo tenha uma dotação orçamentária mínima anual definida pela lei, e que portanto esta lei seja encaminhado pelo poder executivo como um projeto de governo.

- A imediata implantação do projeto “Prêmio Teatro Brasileiro” sob a forma de um edital nacional ainda para o ano de 2009.

- O descongelamento dos 75% do orçamento da união para o Ministério da Cultura. E um aporte de verbas suplementar para que ele atinja o mínimo de 2% do orçamento geral da União.

Pela nossa experiência dos últimos anos constatamos e entendemos que qualquer lei para a cultura tem necessariamente que contar com uma dotação orçamentária própria (recursos garantidos pela lei), pois isso evita a manipulação política e o corte indiscriminado destes recursos decorrentes de negociações políticas escusas (o balcão de negócios em que a política tem se transformado) e da ignorância por parte dos políticos de plantão sobre a importância que a cultura e as artes têm no desenvolvimento da real cidadania.

Sr. Presidente e Sr. Ministro, a luta por políticas públicas para a cultura é a luta pela soberania nacional e pela construção de um país de cidadãos livres no pensar e no agir.

As reivindicações feitas neste documento são de interesse público e a “Lei de Fomento para o Teatro Brasileiro” é fruto do amadurecimento de muitos anos de estudos sobre o que é realmente uma política cultural de interesse público para o cidadão. Hoje nos colocamos em luta por isso, pois acreditamos que com nossa luta possamos conquistar o impossível.

Assinado: Movimento 27 de março

*************************************************************************************


http://anapaulasousa.blog.terra.com.br/tag/27-de-marco/

24 de abr de 2008

Ai, Carambaaaa!!!!!


A Estréia da festa mais latina da América Latina!!!

Ai, Caramba!!! é a festa com Musica latina, discotecagem latina, e muitas outras coisas latinas e que lembram coisas latinas!!!
É nesta sexta, 25 / 04 no Sat Nights, um espaço muitíssimo legal e bem localizado (Alameda Itu, 1564 - Próximo à Rebouças)

É SIMPLESMENTE IMPERDIVEL!!!

Enviem quantos nomes quiser para lista de descontos para aicarambalatino@gmail.com ! Segue abaixo release do O Encanta Realejo, banda que irá tocar na estréia da festa.

Beijos,

Dêssa


E pra começar bem:


O ENCANTA REALEJO
O 'Encanta Realejo' surgiu no inicio de 2007, tendo realizado apresentações nas ruas de Paraty durante a FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) e em espaços públicos como o Circo do Beco e Praça Roosevell, sendo a junção de dois grupos que a muito tempo já realizavam esporádicas parcerias, o grupo Encantadeiras ( Aline Reis, Inayara Samuel, Talita Del Collado, Alessandra Vilhena e Leonardo Suave) e o grupo Aline Reis e o Realejo (Aline Reis, Teo Garfunkel, Yuri Garfunkel, Luis Fidalgo e Bruno Metriner).
A concepção do grupo 'Encantadeiras' surge em 2004 através do canto de cinco mulheres, sobre efeitos percussivos simples, tendo como mote principal as composições em violão, voz e acordeom de Aline Reis, além de dança e literatura (poesia e contação de estórias) cerne do trabalho de Inayara Samuel. Em 2005 o grupo passou a ser composto somente por Aline Reis e Inayara Samuel, tornando-se a partir de então, um projeto artístico englobando pesquisa musical, dança contemporânea e poesia falada. Atualmente, Encantadeiras tomou um novo corpo, produz sons e ritmos variados, isso devido ao surgimento dos novos integrantes: Talita Del Collado (percussão e voz), Alessandra Vilhena (percussão, voz e flauta transversal), Leonardo Suave ( que além de percussionista e sociólogo, acrescenta ao grupo seu trabalho de pesquisa étnico-musical através do toque de instrumentos confeccionados por ele mesmo). O grupo 'Aline Reis e o Realejo' iniciou-se em dezembro de 2005, tendo como ponto de partida os poemas escritos e musicados por Aline Reis (voz, acordeom e violão)rdeom e viol iniciou-se em dezembro de 2005, tendo como ponto de partida os poemas escritos e musicados por Aline Reis (voz, , arranjados em seguida coletivamente pela banda em 'jam sessions'. Os instrumentistas Lula Fidalgo (guitarra, viola e violão de 7 cordas), Bruno Mestriner (contra-baixo), Teo Garfunkel (bateria) e Yuri Garfunkel (flauta transversal) tocam juntos ou separadamente em bandas de diferentes estilos musicais, e são o ecletismo e o entrosamento adquiridos com esse processos que direcionam a parte instrumental da banda. O Realejo baseia-se em ritmos regionais brasileiros, misturando as influencias de jazz e psicodélia para alcançar um resultado musical que ilustre adequadamente os poemas de Aline.



http://oencantarealejo.blogspot.com/
http://oencantarealejo.multiply.com/




10 de mar de 2008

Audição Cultural !!!


Rap é Cultura !!!

Movimento cultural das ruas de São Paulo chega a palco de livraria, faz a festa com novos Djs, Mcs e Poetas


Nos próximos sábados, dias 22 e 29 de março, a partir das 22h, artistas convidados do Projeto Audição Cultural apresentam sua obra e garantem uma festa de poesia, música e RAP em forma de arte e atitude.Assim como o projeto, a festa que será realizada duas vezes por mês na Livraria da Esquina (Barra Funda), propõe aproximar artistas, público, patrocinadores e ainda acabar com "os mitos criados em torno de movimentos culturais como o hip hop, o rock e a própria MPB", contam as produtoras e arte-educadoras Débora Fidelis e Dêssa Souza.

A atração principal das duas primeiras edições da festa é a banda de jazz rap "Primeira Audição" , que pode ser conhecida pelo http://www.myspace.com/primeiraaudicao

A qualidade da discotecagem será garantida pelos premiados dj Soares e Dj Damente, além dos djs convidados – Dj Dandan (dia 22/3) e Erick Jay (no dia 29/3).

A cantora e compositora Cláudia Luz faz participação especial nas duas noites e entre as bandas convidadas estão a Preto Soul (22/3) e Avec Elegance (29/3).

Outros destaques são os Poetas da Cooperifa (da Zona Sul, dia 22/3) e os Poetas do Coletivo Griots (da Zona Leste). A Cooperifa, comandada por Sergio Vaz, o poeta da Periferia, realiza um sarau todas as quartas-feiras e mobiliza em média 200 pessoas por semana, entre jovens e adultos.

As artes plásticas também estarão presentes: O Coletivo Griots (Zona Leste) fará uma exposição de esculturas em metal, sem falar nas estilosas bicicletas do Magrela's Bike Club (Zona Sul) que também enfeitarão a festa e um painel que estará sendo pintado durante o evento pela artista plástica Gabriella Ribeiro do Projeto Cultural Quintal Camaleão (Carapicuíba – SP).

ServiçoLocal: Livraria da Esquina

Rua do Bosque, 1254. Barra Funda, São Paulo – Tel (11) 3392-3089

Datas: 22 e 29 de Março

Horário: a partir das 22h.

Estilo hip hop / poesia

Entrada: R$ 7,00 até a meia-noite e R$ 10,00 após

Contatos: Dêssa Souza, cel (11) 8408-2482

Débora Fidelis, cel (11) 9961-1898

Will Cavagnolli, cel (11) 8620-3512

24 de jan de 2008

Até que enfim, um convite pra uma produção minha nesse blog!!!

É isso mesmo!!!

Uma festa com bandas de rock,
Esquetes teatrais,
Sarau;

e Jam Session !!!

Acho que tá de bom tamanho pra um sábado de CArnaval numa cidade que não tem Carnaval...rs

26 de dez de 2007

Letrinha - Que é pra semana não passar em branco

Soy Loco Por Sol
Mundo Livre S/A

Olha o sol tingindo a madrugada
Um calor intenso estranho invade aos poucos o meu peito
É uma paixão incontrolável eu não consigo resistir
Comprar, comprar, gastar, torrar
Eu não vivo sem consumir
Sou o gatilho mais rápido do oeste
Com um American Express na mão
Já tenho 3 rifles em casa
E não vejo a hora de sacar mais uma vez a carteira
Aquela belezura prateada e automática
Logo, logo reforçará a minha coleção
Soy loco por carros novos
Um modelo pra cada ocasião
Vibro imaginando a quantidade de ozônio devastado
Cada vez que acelero meu novo 4/4
Se alguns desses abraçadores de lagoas
Estão mesmos dispostos a perder seu sono com isso
Vão em frente!
Quanto a mim estou ocupado demais
Tentando decidir como investir e gastar bem meu dinheiro
Liberdade, Liberdade!
Regulação é o mesmo que censura
Dane-se o planeta!
Dane-se as futuras gerações!
E é por isso Sol
Que eu sou apaixonado
Sou fanático e posso até morre por ti América
Eu tive um sonho
Diante da minha nova TV de 500 canais
Me deparei com um estranho episódio dos Simpsons
A Floresta Amazônica havia se transformado num imenso deserto americano
Conheci a doce e ingênua Solange trabalhando pro lá
Num dos milhares de postos da TEXACO
Ela atendia a todos que paravam com o mesmo sorriso largo
Dizendo “bem vindo ao deserto do real”
Convidei-a para um café e ela terminou me contando
Que tinha acabado de chegar da América
Triste, desolada, confessou que tinha sido deportada.
Pra minha surpresa
Solange topou viajar comigo de Ultraleve
A centésima para foi numa praia deserta próximo a Tihuana no México
Olha o Sol tingindo a madrugada...
Quando ela menos esperava estávamos sobrevoando a noite de balão
O trecho do muro daquele imenso muro que adentra o pacífico
Solange no entanto não se alegro
É difícil viver na clandestinidade ela lembrou
Então eu lhe contei que seus problemas tinham acabado
Pois eu conhecia uma maneira muito simples de conseguir o Green Card
é só a gente se alistar para o glorioso exercito americano
Em pouco tempo nos tornaríamos fuzileiros
E viveríamos juntos, felizes e totalmente realizados
Torturando aqueles vermes mulçumanos na base de Guatánamo em Cuba.
Um calor intenso estranho invade aos poucos o meu peito
Acordei suado e triste por ainda está aqui
Mas de toda forma saiba
América
Yo soy loco por ti!
América
Yo soy loco por ti!
América
Yo soy loco por ti!